Skip navigation

Category Archives: Gatas

megan_fox4

Eu vou falar o quê, pelo amor de Jesus Cristo?

Acho que mulher tem que ser assim… Bonita, competente, inteligente, decente… como Sheryl Crow. Ela é um encanto, é uma verdadeira Deusa… Bate uma viola muito legal e tem músicas lindas… Ela faz um show enxuto, melódico, simples e belo, como ela. Parabéns a Sheryl Crow, pelo seu talento, musicalidade e beleza. Ela merece tudo que tem e que conquistou.

Na minha humilde opinião, sensual é isso: Quem sabe, a cantora não é uma virgem como Caroline Miranda!!!

Tawnee Stone é foda, literal e não literalmente. Ela nasceu em 82, portanto teria 26 anos hoje (digo teria, porque não sei o mês que ela nasceu, ora bolas). Bom, há exatos dez anos atrás, que foi quando iniciei, pra valer, minha incursão pelo mundo da net ela estava com 16… Uns dizem que seria na verdade 15, ou 14… Tawnee é americana, nasceu numa cidade chamada Crystal Lake, no estado do Illinois (e não no Texas, como muitos pensam). Muito provavelmente era maior de idade quando fez as primeiras fotos, afinal os caras lá pegam no pé da galera. Procurei Crystal Lake no Google Earth e não é que encontrei a danada da cidade! É até bonitinha, bem arborizada, cheia de ruas largas e bem plana. Fico imaginando a pequena Tawnee, com seus sete, oito aninhos, toda serelepe, brincando (de médico certamente) com seus amiguinhos e tal… Quem poderia imaginar que anos mais tarde, onanistas do mundo todo tocariam odes em sua homenagem (em 2005 houve mais 1,6 milhão de buscas pelo seu nome no Google – agora, imagine!). Quando falo de Crystal Lake, vocês podem até achar meio enfadonho, mas foi lá que a mulher nasceu, caralho! E é uma cidade bem pequena, com menos de 45.000 habitantes, mas com alto IDH… coisa do primeiro mundo. Só não me perguntem porque Tawnee precisou se prostituir pra viver… Talvez fosse por esporte, quem pode saber ao certo? Americano é bicho doido… Quem tiver o Google Earth, dê um saque em Crystal Lake… Você não perde nada. É aquela tipica cidadezinha norte-americana bem sessão da tarde… sabe aquela história de uma garotinha (não foi Tawnee, com certeza) que perde um cachorrinho e tal… é por ai… Daí, fico divagando: “e se um dia eu for a Crystal Lake” Provavelmente alguém de lá sabe quem é, de fato, Tawnee. Digo isso porque Tawnee é o pseudônimo que ela usa no site oficial que é parte da Lightspeed Media Corporation. É uma tipo de rede de sites fundada em 1999 por um tal de Steve Jones, algo mais ou menos como João da Silva, aqui. Não achei nada sobre o cara na Net (tem uma porrada de Steve Jones, mas nenhum é o cabra). Acho que se fuçasse mais acharia, mas deu preguiça. Além disso eu quero que Steve Jones se foda, tô cagando pra ele e pro modo fácil e gostoso como ele enche o bolso. Punheteiro filho da puta! Muitos consideram Tawnee o verdadeiro astro do mundo erótico da net, vejam bem, “DA NET”. Pelo que eu saiba ela não fez aqueles filmes pornôs típicos de locadora. Pesquisei e não vi nada. Tenho em meu acervo particular de “web videos”, (que ultrapassa a casa dos 5 terabytes) mais de seis horas de materiais capturados, todos dela, e não há qualquer transa com homem, exceto uma. Uma bosta, um cocô, de uma foda com um amarelão lá, gordo (e pelas aparências altamente flatulento) cujo pau, ignominiosamente, sequer subiu direito, e ele fica lá em cima de uma Tawnee enojada, sem graça e aparentemente drogada. No final da “coisa”, pois aquilo não é uma foda, é uma “coisa”,  tá ela lá com um gel na cara. A pergunta é: Seria a porra do cara? Seria um mingau de maisena feito às pressas? Não dá pra ver porra saindo do pau do cara!!!… Em sérias discussões entabuladas em sérios sites de discussão cujos nomes me falham agora, levantou-se uma interessante tese, a mais aceitável, mas nem por isso a menos mirabolante: aquele seria o verdadeiro Steve Jones. Especulou-se, à época, que ele detinha a exclusividade do nome/marca Tawnee Stone e abraçava todos os direitos de exploração sobre ele tanto no site quanto fora. Diz-se que Jones a assediava constantemente com pedidos de casamento e namoro, tendo ela rejeitado todos. Ao mesmo tempo, Tawnee, então já maior de idade, e com um agente e um advogado, buscou pleitear os direitos ao seu nome artístico e tudo aquilo que a ele viesse atrelado. Um acordo foi feito. Steve Jones levaria uma grana (cerca de vinte por cento de tudo que o nome Tawnee Stone ganhou, ganha e ganhará durante vinte anos) e além disso, queria ter o registro de uma transa (sua – dele) com ela. Transa essa, que vazou, é claro. Você vê que Tawnee tenta parecer alegrinha, contente, mas tem algo errado ali, é visível… Mas bom, deixemos um pouco de lado este assunto. Falemos de coisas menos sórdidas… Tawnee, como muitos sabem, fazia ou faz (diz-se que todas as fotos dela tem mais de oito anos e ela não é mais fotografada – foram tiradas milhares de poses num curto intervalo de tempo, para aproveitar todas as nuances de sua juventude peculiar – mas isso também é especulação) bom, como eu ia dizendo, ela faz ou fazia um tipo de pornô softcore, sem muita sacanagem e violência (excetuando-se a tragédia citada acima). Como ela era uma gatinha e não pegava muito pesado, deve ter surgido um monte de cara a fim dela, ou não… Ela deve ter juntando uma graninha, ou não… Rolam na Internet, três versões do que pode realmente ter acontecido a Tawnee. 1) Ela se mudou para Orlando, Florida, onde cuida de um Pet Shop mais uma garota, sua parceira. Elas adotaram uma garotinha vietnamita e vivem muito bem. 2) Ela comprou um rancho no Texas mais uma garota, com quem vive um tórrido enlace, e tenta, através de sucessivos cruzamentos (agronômicos) introduzir (agronomicamente falando) o gene da raça zebuina nos tradicionais cimentais americanos. 3) Ela busca desesperadamente encontrar o dono do blog Armazém de Luzes…

 

Quem assistiu Desventuras em Série, deve ter notado (não precisa sem bom observador não) que Emily Browning, a garotinha que faz Violet Baudelaire, é uma fofura sem tamanho, um doce… Tudo bem, à época do filme ela não passava de uma lolita arrebatadora, mas agora Mimi já tá grandinha… e não menos arrebatadora (que boca!!!!). Fiquei um pouco decepcionado foi com o site dela. Há um tempo atrás, coisa de um ano, mais ou menos, ele tava mais bonitinho, mais sério. Tinha uma certa classe. Não sei o que houve que agora tá tudo mudado por lá… pra pior, é claro. Tá cheio de fotos bastante vulgares – a desse post tive que catar na casa do caralho, porque no site do xuxuzinho não tem uma que preste. Ah, sim! Ela faz aniversário no mesmo dia que eu… massa… rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs… ela nem sabe que eu existo… rsrsrsrsrsrsrsrsrs… não vai saber nunca…

 

Os amigos blogueiros, ao longo de “todo” esse tempo em que estamos juntos, puderam notar que sou um sujeito sincero… às vezes sincero até demais. Tanto que tem gente que nem me cumprimenta mais na rua, por conta de algumas coisas mais pesadas que postei. Não ataquei ninguém diretamente, afinal não tinha por quê, e achava que todo o pessoal era amigo… mas os amigos de verdade, antes de criticar, costumam vir até a gente pra perguntar sobre os motivos que nos levaram a fazer ou dizer certas coisas… Acho que amigo é assim. O ponto positivo disso tudo é que pude fazer uma boa seleção… mais uma dentre tantas… Mas chega de história. Esse post é pra falar de uma obra de arte, de um filme meigo, doce, suave e lésbico (rsrsrsrsrsrsrs). Pois é, galera. O título dessa coisa linda, em português, é Quando a Noite Cai. Fala do processo de envolvimento entre uma artista de circo (Petra – interpretada por Rachael Crawford) e uma professora católica (Camille – interpretada por Pascale Bussières). Como dito, o romance é muito bom, muito bem costuradinho e não tem todo aquele sofrimento desgraçado que galera gay gosta de ficar pisando e repisando. É claro que se fala do preconceito, não tem como não falar, mas tudo é feito com extrema leveza e o que aflora é o principal, que é o amor puro entre duas gatas lindas. Decerto, o fato da história ser ambientada no Canadá pesa bastante pra que predomine esse clima de frescor matinal a cada segundo… um lance assim jamais poderia ser feito no Afeganistão, mas não precisa ir longe… aqui no Brasil não rola. É tudo muito limpo, muito chique, milimetricamente recortado e montado. A diretora Patricia Rozema conseguiu também algo bem distinto que é equilibrar pitadas de drama com pitadas de comédia, sem exageros e ridículos. Tudo rola em torno da sensualidade e de um erotismo de descoberta extremamente empolgante, algo que nos remete à agonia gostosa da adolescência, porém Petra e Camille já são adultas e maravilhosas e sabem curtir a parada. Tiro o chapéu para esse filme, que é considerado por muitos, o melhor filme lésbico já feito, e eu como bom admirador das meninas que gostam de meninas, tenho que reconhecer que, dos filmes que assisti sobre o tema, este foi, de fato, o mais legal.

shakira_32-shaking-her-booty.jpg

A bunda de Shakira nem é tão espetacular quanto uma grande incógnita que vem tirando o meu sono e de muitos outros especialistas: como é que ela consegue fazer isso sem cair na vulgaridade… Vou perguntar pra ela. rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsr… Depois de escrever sobre a segunda era preciso fazer um lance assim, pra desanuviar… Vixe…

vtl_26.jpg

Holly Golightly é o nome da personagen de Audrey Hepburn em Breakfast at Tiffany’s ou Bonequinha de Luxo como ficou aqui conhecido o filme. Holly é uma garota interiorana, de passado bem curioso, que vai pra capital (Nova Iorque) a sai fazendo detono com a galera de lá. Ao meu ver, um dos maiores méritos desse filme (livro, conto, sei lá…) é mostrar como o homem (ser humano do sexo masculino) pode ser fraco e ridículo. Só poderia ser escrito ou por uma puta ou um viado (Truman Capote o era e o fez). Não pensem que sou preconceituoso, mas existem diferentes níveis de sensibilidade que somente pessoas com determinadas características podem alcançar. Se Truman fosse hétero, certamente ele tiraria boa parte do “poder bucetal” de Holly, que era uma garota de programa, e das boas. Isso seria falso, na verdade, e o romance não teria o alcance que teve, nem a pungência. Tenho que admitir que este foi o único filme que assisti de Audrey… mas… bom, na verdade foi suficiente pra ver que além de exuberante ela era talentosa pro cacete. Prefiro Shakira mil vezes na cama do que ela, mas acho que o papo com Audrey seria melhor… Será? Olhe, ouvi dizer que Shakira é espertinha, viu… segundo o Wikipedia … Shakira Isabel Mebarak Ripoll (Barranquilla, 2 de Fevereiro de 1977) é uma cantora e compositora colombiana vencedora de dois prêmios Grammy. Seu prenome em árabe significa graciosa. Fala fluentemente várias línguas, como inglês, árabe, português (com sotaque brasileiro), francês e espanhol, a sua língua materna. É também dançarina de dança do ventre, que aprendeu com a sua avó libanesa… Eu pagaria pau pras duas, pena que uma esteja morta e a outra… bom, a outra é foda!!!!

Esse não é o melhor vídeo dessa música (For All We Know ) mas dá pra sentir um gostinho bacana… e ela está especialmente linda. Ainda estava gordinha…

Ultimamente tenho ouvido bastante Carpenters… e é um lance bem chato pensar no que aconteceu a uma das maiores cantoras pop que o mundo já teve. Pra quem não sabe ela morreu de anorexia nervosa. Biógrafos da vida de Karen e especialistas comportamentais têm muito mais respaldo pra falar sobre os motivos que a levaram a cometer esse tipo de suicídio… mas é intrigante demais vê-la cantando com toda aquela elegância, jovialidade e destreza e ao mesmo tempo imagina-la vomitando o mais reles pedaço de xuxu. É curioso ver como as pessoas guardam lados negros, como todo mundo tem uma coisinha mais fedorenta, bem lá dentro… como Karen, como todos nós. De uns tempos pra cá não dá mais pra sentir decepção… Por exemplo, particularmente estou farto de ficar desiludido com uma sacanagem feita por alguém que eu considerava amiga, e tal… é claro que não se pode deixar barato, mas sentir tristeza por isso é besteira nos dias de hoje. Antes ficar retado com o bago de jaca que escorregou da mão. Quando comecei a ouvir Carpenters ainda não tinha o menor conhecimento a respeito de Karen. Quando me inteirei do que houve com ela, pensei somente: é isso aí, ela viveu pra caramba, curtiu. Não viajei em mais nada, nem me senti traido ou indignado… só fiquei, como disse, intrigado. Fala-se que o fim da picada para ela foi querer engordar cinco quilos em dois ou três dias, o coração não aguentou o tranco metabólico e ela viajou no dia 04/02/83, portanto há 24 anos. Ela tinha 32 anos.

Esse vídeo é um dos meu prediletos. É da música Only Yesterday.